“Aconteceu lá um negócio bom…” – Relato de projeção astral do Roberto Pineda

Roberto Pineda mora no estado de São Paulo e vivencia a projeção astral (ou experiência fora do corpo) há vários anos, descrevendo na internet o que ele costuma ver quando está projetado. Recomendamos o site do Pineda para quem gosta de relatos projetivos. O Pineda possui uma excelente habilidade de reportar as coisas do astral.

No relato abaixo ele comenta sobre o encontro com um amigo que não percebeu que morreu.

Os pesquisadores colocam que muitas pessoas passam pela morte do corpo físico, continuam raciocinando e vivendo experiências lá no outro lado, mas não percebem que morreram, e acreditam ainda estarem na vida física.

O relato do Pineda fala um pouco sobre isso.

“Aconteceu lá um negócio bom…”

Hoje (29/04/2013) por volta de umas sete (horas) e pouco da manhã, ao voltar para casa, após várias experiências no astral, encontrei um amigo e vizinho há quase dezoito anos.
 
Fiquei maravilhado em vê-lo, de forma nítida, como se estivéssemos no físico.
 
Observei atentamente que ele estava bem, com saúde perfeita, como se tivesse vindo na casa dele fazer alguma coisa, num dia normal de atividades no físico.
 
Cumprimentando-o, falei para ele:
 
“Oi Jaime, como está???”
 
“Estou bem… Aconteceu lá um negócio bom… O médico disse que acertou a minha medicação… Ele disse que agora basta olhar para mim e já sabe o que eu tenho, a medicação que preciso… Estou curado…”
 
Falou isso e demonstrando estar se lembrando de alguma coisa voltou dentro da casa dele para buscar algo.
 
Surpreso e maravilhado com aquele encontro, voltei sem querer para o meu corpo físico.
 
Ocorre que este amigo desencarnou ontem (28/04/2013), pela manhã, no hospital, onde estava internado havia uma semana, vítima de câncer no sistema digestivo.
 
No sábado (27/04/2013) entre 12:00 e 13:00 horas, estive, junto com minha esposa, visitando-o no hospital.
 
Ele estava muito abatido, devido a cirurgia, estava ‘entubado’ com oxigênio e outros aparelhos de medição e controle médico, olhou-nos com com certa surpresa pela visita e sorriu.
 
A esposa dele que estava sentada numa poltrona próxima, disse que ele não podia falar, pois estava com soluço devido a não estar comendo há uma semana, ficando só no soro e na medicação.
 
Logo depois, ele fechou os olhos e adormeceu, durante todo o resto da visita.
 
Hoje (29/04/2013) quando o encontrei e ele disse “aconteceu lá um negócio bom…”, ele se referia a excelente recuperação que teve no hospital, achando que o médico tinha acertado na medicação e que ele “já estava de alta médica”
 
Percebi instantaneamente que ele ainda não tinha se dado conta da própria situação de desencarnado, achando que ainda continuava no físico, normalmente.
 
O enterro dele deve acontecer daqui há pouco, as 9:30 hs da manhã.
 
Vou ver se nos próximos dias consigo acompanhá-lo na sua adaptação da sua nova vida no astral e ver se consigo ajudá-lo em alguma coisa.

Homem saindo do corpo

Segundo relato, de 30/Março/2017:

“Depois da morte”

Esta noite (30/03/2017) encontrei no astral um vizinho que morreu há quase 4 anos atrás. Achei interessante postar esta experiência, pois demonstra como é, para alguns, a vida depois da morte.

Conversando com ele, pude observá-lo de perto e percebi que ele está bem.

O corpo astral dele está aparentemente sólido, compacto, como se ainda estivesse com o corpo físico.

A comunicação no astral é rápida e instantânea pelos pensamentos.

Se a pessoa, por exemplo, não tiver consciência de que está desencarnada, a impressão que ela tem é de estar conversando normalmente, como se estivesse no físico.

Como eu demonstrei curiosidade sobre o que ele anda fazendo, ele respondeu que está fazendo um curso.

Pude sentir/perceber que é um curso preparatório para a percepção da vida espiritual.

No astral há infinitas vivencias, deixando a pessoa totalmente envolvida, e como geralmente não há percepção de tempo, a pessoa desencarnada pode passar muito tempo sem perceber que não está mais no físico.

Geralmente amigos espirituais quando percebem que o desencarnado não consegue despertar por si próprio, procuram encaminhá-lo para algum curso que o ajude aos poucos a ir percebendo a nova realidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.