A natureza ardente de uma vida valorosa

Por Samantha Sabel

“Seja quem você está destinado a ser, e colocará o mundo em chamas”.

Se você já tiver experimentado o sentimento de estar em sintonia com seu projeto de vida mais profundo, você reconhecerá quanta verdade existe nesta frase de Catarina de Siena. Alguns de nós nunca chegam a compreender qual é realmente o propósito de nossa vida, porque este tipo de percepção requer uma grande dose de auto observação, honestidade consigo mesmo e coragem para agir de acordo com nossas aspirações mais íntimas. Não são todos que gostam da ideia de encarar as profundidades do próprio ser, e nem todos apreciam os riscos dos caminhos incertos de uma vida criativa. De minha parte, acredito que um bom grau de auto consciência e a coragem para criar o próprio destino, tomando riscos e decisões muitas vezes difíceis, são duas das poucas coisas realmente necessárias para se levar uma vida boa e que vale a pena.

Voltando à frase de Catarina de Siena, que provavelmente é uma adaptação de “Se você for o que você deveria ser, você incendiará toda a Itália!” (Carta T368 a Stefano Maconi), eu iria adiante e diria que este fogo, que “incendeia o mundo”, deriva da incandescência do “ser” pessoalmente realizado. Neste processo, o “ser” em si mesmo é “incendiado”. Pensando em termos de energias, a sensação pode ser até mesmo fisicamente sentida: quando você faz aquilo que ama fazer e aquilo para o que nasceu, seu ser inteiro treme de excitação, como se estivesse pegando fogo, mas de uma forma controlada, construtiva e produtiva. Você se sente lúcido, incansável, alerta e empoderado. Você sente o impacto positivo de suas ações justas nos outros e nos seus arredores, e recebe feedback maravilhoso, sem solicitar. É uma experiência muito gratificante e, quando acontece, você sabe que está no caminho certo para se tornar mais feliz na medida em que avança naquela direção.

Não sou católica, tampouco crente em santidade institucional, mas isto não diminui a veracidade do que de Siena falou. A ideia possui ressonância com os conceitos psicológico e espiritual de auto-realização. Mas o mais importante é que pode ser facilmente verificada pela experiência vivida.

É importante dizer que um projeto de vida não é necessariamente um empreendimento grandioso e notável. Pode ser algo completamente anônimo e simples, como ser uma boa mãe para o seu filho. Mas em todo caso, envolve tornar-se alguém melhor e ajudar outros a fazerem o mesmo, em qualquer escala que seja. Não pode haver satisfação genuína em buscas egoísticas ou puramente materialistas.

Os sinais inequívocos de que você está cumprindo sua missão na vida – ou vivendo uma vida boa, que vale a pena – são contentamento pacífico, uma crescente alegria de viver, e uma necessidade de compartilhar o amor que você sente com os seres vivos que o acompanham na jornada. Existe uma grande e permanente fonte de Vida, Sabedoria, Amor e Alegria que ultrapassa nossas personalidades individuais e nos conecta a todos. Nossa missão, qualquer que seja a sua forma ou tamanho, sempre envolverá limpar nossos canais internos para permitir que estas águas divinas fluam livremente, atravessando-nos em direção aos outros.

Esta é a razão pela qual a mudança mais poderosa que alguém pode fazer é a mudança de si mesmo. Livrar-nos de tudo que nos divide e diminui – medo, dúvida, ódio, intolerância, arrogância – e nutrir nosso ser superior – nossa capacidade de amar, confiar, compreender e cuidar – tanto em nós mesmos quanto nos outros, são as duas chaves para tornar-se quem você está destinado a ser. E também para, de forma irresistível e cativante, colocar o mundo – incluindo você mesmo – em chamas.