Ame sem pedir para ser amado de volta

Um esclarecimento espiritual sobre o real significado do amor.

(Capítulo 17 do livro “As Sementes da Felicidade” – de Omraam Mikhaël Aïvanhov)
Extraído e traduzido da edição Inglesa.

“O amor é um tópico que nunca se esgotará. Homens e mulheres podem eternamente falar a respeito dele sem se entediar. É como comer, beber e respirar; o homem não pode viver sem amar, sem falar e ouvir sobre o amor. Por milhares de anos, o amor tem sido o tema de canções, pinturas e livros. De fato, pensamos que um romance, peça ou filme que não tenha interesse no amor é insípido. E no entanto, o que os seres humanos realmente sabem sobre o amor? Não seriam a dor e o sofrimento do amor que eles conhecem melhor? E por que é assim? É porque, para a maioria das pessoas, a felicidade consiste não em amar, mas em ser amado. Claro, elas estão dispostas a amar um pouco também, mas estão convencidas de que é mais importante serem amadas. E se vocês duvidam do que digo, digam-me: por que não lhes é suficiente que amem? Por que sofrem tanto quando descobrem que a pessoa a quem amam não as ama, ou as ama menos do que esperavam? Elas esperam que o amor venha dos outros para que as faça felizes. E se ele não vem – ou se vem mas não dura – elas se sentem deprivadas. Elas não têm fé no seu próprio poder de amar, na força do amor dentro de si mesmas. Elas precisam que alguém de fora delas venha e lhes dê amor.

Suponha que você faça um novo amigo e, por um tempo, vocês se encontrem com frequência e troquem ideias, olhares afáveis e sorrisos amigáveis. Então, um dia, seu amigo está preocupado com alguma coisa, está com algum problema e tem menos tempo para encontrar com você, escrever para você ou falar no telefone. Você se sente decepcionado e triste porque você pensa que ele o abandonou, e começa a repreendê-lo: “Por que você não veio me ver? Por que não me ligou?” e daí por diante, até que ele fique cansado de ser perturbado. Bem, claro, é normal que você sinta que perdeu algo, mas se você não decidir mudar sua atitude, nunca estará livre do sofrimento. Se você quiser reconquistar sua alegria interna e sua paz, diga a si mesmo que você deve contar apenas com o seu próprio amor, e não esperá-lo dos outros. Enquanto você esperar ser amado, será dependente dos outros, e se os outros falharem em lhe amar ou amarem-lhe menos do que você gostaria – e eles estão no seu perfeito direito de fazê-lo – você sempre será infeliz.

A vida é de tal forma que nunca podemos ter certeza de nada, nem de eventos nem de pessoas. Elas irão às vezes pensar em você, mas elas têm muito maior probabilidade de esquecer você. E isto significa que a menos que você se ancore em algo estável dentro de você mesmo, você será constantemente sacudido e levado para fora do caminho. Sim, é hora de aprender a verdadeira natureza das coisas e compreender o que você deve fazer para ser feliz. E já que você precisa de amor para ser feliz, já que você sente que é quando ama que você floresce e recebe revelações, e já que você deseja que seu amor dure para toda a eternidade, ame sem pedir que seja amado. Se aqueles a quem você ama replicam a sua afeição, tanto melhor; agradeçam ao céu por isso, mas não conte com isso. Se você puder fazer isso encontrará felicidade, pois tudo dependerá de você apenas; você pode ter o que quer, o quanto quer e onde quer. Você será todo-poderoso, independente e terá o controle da situação.

A única coisa com a qual você precisa se preocupar é como manifestar seu amor de forma mais perfeita, como torná-lo mais puro, luminoso e abnegado, menos limitado. Esta é a única condição que deve ser preenchida para se ser feliz através do amor. Olhe para o sol, ele não espera ser amado; ele é assim radiante porque ama o mundo todo. Ele é livre; não espera nada dos outros.

De minha parte, compreendi há muito tempo que grande pesar e decepção me aguardavam se eu contasse com o amor dos irmãos e irmãs da Irmandade. Os pobrezinhos têm tantos problemas e dificuldades, tantos compromissos amarrando-os, que não têm tempo de pensar em mim. Vocês objetarão, ‘Mas eles realmente amam você; se você ouvisse o que dizem de você.’ Sim, eu sei. Eles me amam apenas enquanto não encontraram alguém mais para amar. Quando encontrarem outra pessoa, me esquecerão. É compreensível… um sujeito velho com uma barba que está sempre pregando sobre como deveriam respeitar as leis de Deus e se esforçarem, e que lhes dá uma boa esculachada de vez em quando. Bom, mal posso culpá-los se eles não acharem isso muito apetitoso. Não tenho ilusões quanto a isso. É por isso que sou o primeiro a praticar meu próprio conselho. Digo a mim mesmo que cabe a mim amá-los (mas não mostro a eles que os amo, do contrário tirariam vantagem do fato). E nessa decisão de amar não apenas or irmãos e irmãs, mas toda a criação, o sol, as estrelas, Deus ele mesmo e todas as hierarquias de criaturas luminosas superiores… é nisto que encontro felicidade, uma felicidade que é estável, fiel e verdadeira. Então, por que não fazer como eu faço?

O seu amor deve crescer em luz e compreensão. Não se limitem à dimensão dos sentimentos, pois sentimentos são personalizados demais. Compreensão também é necessária para viver a completude do amor. E é quando vocês decidem amar sem esperar serem amados em retorno que vocês serão verdadeiramente amados. Por quê? Porque, se as pessoas se sentem iluminadas e aquecidas pela sua presença, e ao mesmo tempo sentem-se completamente livres, como podem não amá-lo e achá-lo atraente?

E vocês verão por si mesmos: assim que vocês pararem de procurar pelo amor, ele os perseguirá. Ele os atormentará, na verdade. Você irá afastá-lo da porta de entrada e ele irá se enfiar pela chaminé. Assim que você parar de procurá-lo, ele aparecerá; mas quanto mais você procurar por ele, mais ele irá se esquivar de você. É como caçar a própria sombra; ela sempre foge e você nunca a pega. Sim, procurar amor dos outros é como caçar a própria sombra. Mas se você parar de caçá-la ela estará sempre ali, amigável e sorridente, ao seu lado. Quando você procura amor dos outros, você foca em algo extrínseco, algo fora de você mesmo, e o seu próprio amor lhe abandona. É simplesmente assim que as coisas são. Ao invés de procurar nos outros, portanto, tragam-no de dentro de vocês e dêem a eles. Desta forma o amor estará sempre presente dentro de vocês e vocês estarão no controle da situação.

E agora, se não quiserem acreditar em mim, é melhor prepararem seus lenços. Em todo caso, não faz tanto mal usar lenços, há coisas piores que isso. Algumas pessoas não se contentam com um lenço para enxugar suas lágrimas; preferem recorrer a uma faca, revólver ou veneno. Garanto a vocês, a maioria das tragédias é causada por amor, por uma noção errada do amor, pelo tipo de amor que sempre quer alguma coisa dos outros. Mas o amor do qual eu estou falando, o amor no qual os Iniciados habitam, rejuvenece-os e fortalece-os e os faz incansáveis, luminosos e belos. É um amor que dá vida eterna, ressucita e imortaliza.

Sim, quando o amor é apropriadamente entendido e manifesto ele possui poder extraordinário. Apenas o amor sabe todas as coisas; apenas o amor é capaz de remediar tudo; as forças que ele desencadeia e projeta são inimagináveis.

Diz-se que Deus é amor, mas quando se vêem as tragédias humanas causadas pelo amor, pode-se ver que ainda há muito trabalho por se fazer, um caminho montanha acima ainda muito longo para ser trilhado antes que as alturas do amor divino possam ser alcançadas. Mas por maior que seja o esforço requerido, vale muito a pena, pois o verdadeiro mago, o único mago que é verdadeiramente todo-poderoso, é o amor. Você deve convidá-lo a habitar dentro de você, para que, onde quer que você vá, assim como uma grande chama brilhando através de uma lâmpada, o seu amor brilhe e irradie tudo ao seu redor.”